Nas alturas: Escrivão Marco Frasson bate recorde capixaba de paraquedismo


O Escrivão de Polícia Marco Frasson, que atualmente atua na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, conquistou um importante feito para o paraquedismo e o esporte capixaba. Ele quebrou o recorde estadual do salto de formação em queda livre, e duas vezes.

Marco integrou um grupo de capixabas que foi até a cidade de Boituva, no interior de São Paulo, para encontrar com outros paraquedistas e tentar realizar a façanha. Foram apenas duas tentativas até conseguirem a quebra do recorde.

O primeiro salto conseguiu reunir 14 paraquedistas, o que já foi suficiente para superar a marca de 11 atingida há quinze anos, em 2001. Mas como todo esporte radical, o desejo de superação falou mais alto, e a turma resolveu tentar novamente, no dia seguinte.

Recorde batido duas vezes

O resultado foi sensacional, e o grupo voltou a bater o recorde, desta vez com 15 paraquedistas unidos em formação. “O recorde representa pra mim mais um desafio alcançado”, comemora o escrivão paraquedista, que há 29 anos integra a Polícia Civil capixaba.

“A importância na participação num evento desse porte é que te habilita a participar de outros eventos, nacionais ou internacionais. É como se fosse uma qualificação a mais em seu currículo”, explica Marco.

A modalidade de formação em queda livre está entre as mais praticadas no paraquedismo. Ela se divide em diferentes categorias: 2-way, 4-way, 8-way e 16-way, onde o número representa a quantidade de pessoas que participam do salto.

“O recorde foi uma iniciativa de atletas capixabas apoiados pela Federação Capixaba de Paraquedismo, e contou ainda com a supervisão da Confederação Brasileira de Paraquedismo, que dentro de poucos dias homologará o recorde”, afirma.

Habilidade para decidir

Para Marco, há algo em comum entre a profissão que escolheu e o esporte pelo qual é apaixonado: a habilidade sobre a necessidade de decisão, um fator que é imposto seja no trabalho policial ou no paraquedismo.

“Tanto no paraquedismo quanto no trabalho como policial civil tenho que estar sempre atento e pronto para decidir. E de forma correta, sem exitar. Paraquedismo é um esporte que não perdoa erros”, revela o escrivão, que realizou seu primeiro salto há 37 anos, mais precisamente no dia 2 de setembro de 1979, aos 15 anos de idade, inspirado pelo irmão mais velho que também começou a saltar com a mesma idade.

Mais saltos por vir

Para o futuro, uma coisa é certa: Marco Frasson continuará saltando na busca em superar não só recordes, mas também seus próprios limites.

“Pretendo continuar frequentando áreas de saltos como Boituva e Piracicaba, onde ocorrem os melhores eventos de paraquedismo no Brasil. Ainda tenho planos de participar de eventos internacionais de grandes formações e quem sabe participar de um recorde brasileiro”.

Convênios

  • Oral Brasil
  • CSS 3 logo
  • SESC
  • Clube de Férias
  • Idecon