Aepes participará da elaboração da grade curricular dos cursos para promoção de Policiais Civis


Para resolver o problema de falta de oferecimento de cursos para a promoção, a Chefia de Polícia Civil, através do delegado Guilherme Daré e do diretor da Academia de Polícia Civil do Estado do Espírito Santo, Joel Lyrio Junior buscam parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) para a oferta de cursos.

A associação dos Escrivães da Polícia Civil do Espírito Santo foi convidada pelo diretor da Academia de Polícia Civil para participar da elaboração da grade curricular para a promoção de Policiais Civis através da plataforma da Senasp. O convite foi feito nesta quarta-feira (23) durante reunião entre o diretor da Academia e o presidente da Aepes, Thomaz Edson Rigo Altoé.

“Nós parabenizamos esta iniciativa da Chefia de Polícia Civil e Acadepol que possibilitará um grande avanço na formação dos Policiais Civis. Dentre os cursos oferecidos pela Senasp nós indicaremos os que têm maior pertinência para o nosso cargo de Escrivães de Polícia e quem ganhará com esse benefício é a sociedade”, explica Thomas Altoé, presidente da Aepes.

Também participam do processo da elaboração da grade curricular as escrivãs Elda Rodrigues Oliveira e Danieli Vicentini Novaes. As duas servidoras já ministraram aula na Academia de Polícia e junto com a Aepes foram convidadas a contribuir com sugestões para a elaboração da grade dos cursos de formação.

De acordo com o presidente da entidade, desde a edição da Lei de Promoção em 2012, que passou a exigir curso de formação durante o período do intertício promocional, ou seja, os cinco anos em que o servidor exerce a sua atividade, a Academia de Polícia não conseguiu ofertar tais cursos imprescindíveis para a promoção por vários motivos, dentre eles, a falta de recursos. Thomaz Altoé afirma que a parceria Academia-Senasp trará benefícios para os Policiais Civis e para o Estado.

Sobre as promoções

Para a promoção da terceira para segunda Categoria, é necessário curso de aperfeiçoamento técnico-profissional com carga horária mínima de 200 horas/aula realizado durante o intertício promocional.

Já para a promoção da segunda para primeira Categoria a exigência e de curso de aperfeiçoamento com carga horária mínima de 240 horas/aula. E para a promoção da primeira categoria para a Categoria Especial o aperfeiçoamento técnico-profissional deverá ter carga horária de 360 horas/aula realizada durante o intertício promocional.

Fortaleça a sua classe. Associe-se!

Produção: Assessoria de Imprensa da Aepes

Convênios

  • Oral Brasil
  • CSS 3 logo
  • SESC
  • Clube de Férias
  • Idecon