Registro de ocorrências e crimes será unificado em todo país

Por AEPES 14/07/2018

A implementação do Boletim Nacional de Ocorrências para unificar e padronizar o registro de crimes em todo o país foi divulgada nesta sexta-feira (13) pelo Ministério da Segurança Pública. A integração dos dados de todos os estados auxiliará nos serviços de investigação policial e de acesso às informações.

De acordo com o ministro Raul Jungmann, a integração contribuirá com o serviço de inteligência, no combate ao crime organizado e para a formulação de políticas públicas de segurança. O ministro afirmou nesta sexta-feira (13) que a integração  aumentará a produtividade, permitindo inicialmente para a integração das polícias que é fundamental contra a criminalidade.

O boletim faz parte do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas (Sinesp), que foi criado em 2012, mas, apenas em 2018, com a criação do Ministério da Segurança Pública, passou a ser obrigatório para todos os estados. Os estados que não aderirem ao sistema podem enfrentar punições, como não receber recursos do governo federal para a segurança pública.

“Se uma pessoa bateu o carro, ao mesmo tempo que ela registra o BO, ela já era liberada. Porque você não tinha informações sobre a pessoa. Quando você institui o boletim nacional, você vai ter informações de todo o país. Aí você pode descobrir que aquela pessoa que bateu o carro é o chefe de uma facção”, exemplificou o ministro Raul Jungmann.

 

Adesão ao sistema

 

Até o momento, segundo o Ministério da Segurança Pública, os estados de Sergipe, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Roraima, Rio Grande do Norte, Acre, Amapá, Maranhão, Piauí e Alagoas já utilizam o sistema.

Uma das principais dificuldades, segundo o ministério, é que muitos estados não estão integrados, nem mesmo internamente, ou seja, uma delegacia em um município não tem acesso aos dados de delegacias em outros municípios. Nestes casos, o ministério disse que vai repassar recursos federais para que a integração seja feita. O ministro Raul Jungmann acredita que até 2019 todos os estados brasileiros já estarão 100% integrados.

 

Fortaleça a sua classe. Associe-se!

Produção: Assessoria de Imprensa da Aepes com informações Agência Brasil e G1.

Por: AEPES 14/07/2018