Armas apreendidas e sua destinação é tema de reunião entre diretoria da Aepes e Delegado Geral

Por AEPES 24/07/2018

A diretoria da Aepes se reuniu nesta terça-feira (24) com o Delegado Geral da PCES, Dr. Guilherme Daré de Lima para tratar das armas apreendidas e sua destinação. O Delegado Geral demonstrou empenho em resolver rapidamente a questão que vem preocupando a entidade no que se refere à segurança dos Escrivães.

“O Dr. Guilherme Daré  nos disse que o assunto será discutido na reunião do Conselho de Polícia desta quarta-feira (25) e que será criado um grupo para auxiliá-lo na elaboração de uma instrução de serviço que padronize a questão”, afirma o presidente da entidade Thomaz Edson Rigo Altoé.

O presidente da Aepes também solicitou que a entidade participe do grupo e o pedido foi deferido pelo Delegado Geral. “ Iremos trabalhar para que após periciadas as armas sejam encaminhadas para a DAME e ela ficaria responsável pela guarda e inutilização das mesmas, mas será preciso criar um oficio padrão onde conste além do encaminhamento a solicitação para a destruição da arma”, explica o presidente da Aepes.

De acordo com o Delegado Geral da PCES, o que mais preocupa a corporação é o fato do judiciário que pretende devolver  o armamento já encaminhado para ele. Mas a sugestão feita pela Aepes é que a entidade irá solicitar que as armas saiam do judiciário com a autorização para serem destruídas.

“Fomos insistentes no fato de que não é prudente que as armas apreendidas e/ou devolvidas fiquem armazenadas nas unidades sob a guarda do Escrivão e o Delegado Geral concordou com nossa ponderação. Acreditamos que,  em breve, a questão esteja devidamente normalizada e resolvida”.

A Associação dos Escrivães da Polícia Civil do Espírito Santo informa que, se preciso for, irá adotar todas as medidas necessárias e legais para proteger seus associados e também a sociedade em geral de mais esse absurdo.

Fortaleça a sua classe. Associe-se!

Produção: Assessoria de Imprensa da Aepes.

Por: AEPES 24/07/2018