Fabiano Contarato terá como prioridade a dignidade salarial do Policial Civil

Por AEPES 10/09/2018

O candidato ao Senado pela  REDE Sustentabilidade, delegado Fabiano Contarato,  número 181, em reunião na Aepes na última semana, firmou um compromisso com a entidade: defender os Escrivães de Polícia Civil em seu futuro mandato. "A atuação do Escrivão é fundamental para o andamento dos inquéritos policiais. Passou da hora dessa categoria  ser valorizada e ser respeitada como parte integrante da Segurança Pública", afirma o candidato. 

Contarato convidou os escrivães para participar de uma ‘corrente do bem’ que irá mudar a cara da política brasileira. “Nós temos o poder nas mãos e essa é a hora de mudar. Resolvi entrar na política porque precisamos de gente ética, de pessoas sérias, comprometidas com bons valores e com ideias novas. Não basta só ser novo na política, é preciso que seja um novo diferente. E essa diferença é uma corrente do bem a qual faço parte”, disse.

Para o presidente da Aepes, Thomaz Edson Rigo Altoé,  e o vice-presidente da entidade,   Clóvis José Ferreira Guioto, a reunião com o delegado Fabiano Contarato mostrou para a entidade o excelente nível e qualidade do candidato. “Ele é  uma pessoa honesta, confiável, que sempre trabalhou contra a impunidade e pela justiça. São de pessoas assim que a nossa política precisa”, diz Thomaz.

Para Guioto, Contarato representa a renovação. “Nós queremos mudanças que valorizem o nosso trabalho. Por ser policial civil ele entende as necessidades da nossa categoria. Confiamos que Contarato vai trabalhar em favor da dignidade da nossa profissão”, ressaltou.

Compromisso com os Escrivães de Polícia 

O candidato ao Senado firmou compromisso  com toda a categoria através de assinatura de documento produzido pela Aepes. Esse compromisso de lutar pelos escrivães é o resultado da realidade vivida por Contarato nos antigos Departamentos de Polícia Judiciária (DPJ’s).

“Eu sei o que sofri nos plantões nos DPJ’s por conta da falta de estrutura, sobrecarga de trabalho e escassez de pessoal. O escrivão é o alicerce de uma delegacia e eu sempre reconheci isso. Já trabalhei em delegacia que não tinha escrivão e é muito importante valorizar esse profissional. A dignidade está  na condição de trabalho, da carga horária, no uso de tecnologia, e principalmente, na dignidade salarial”, declarou.

Ao final da reunião, Fabiano Contarato afirmou ser muito grato a Deus por ter se tornado policial, o  que para ele é uma missão de vida. "Os escrivães da Polícia Civil do Espírito Santo  podem contar comigo em Brasília. Vou lutar pela valorização profissional e por um tratamento mais humanizado. E para isso eu conto com o apoio de toda a categoria”.

Fortaleça a sua classe. Associe-se!
Produção: Assessoria de Imprensa da Aepes.

Por: AEPES 10/09/2018