Policiais Civis deliberam por unanimidade a defesa da aposentadoria diferenciada para a categoria

Por AEPES 28/01/2019

Os representantes dos Policiais Civis se reuniram neste final de semana, no Congresso Nacional Extraordinário da COBRAPOL que aconteceu na sede da Agenpol, em Brasília. Os policiais decidiram por unanimidade não aceitar que a categoria seja incluída na chamada reforma geral da Previdência sem que ocorra anteriormente uma ampla discussão sobre o tema. Além da reforma da Previdência, o Congresso Extraordinário da COBRAPOL debateu durante os dois dias de evento a questão do Ciclo Completo (CPP) e da unificação das polícias, cujas propostas estão sendo discutidas pelo Congresso Nacional.

De acordo com informações da equipe de comunicação da COBRAPOL, os congressistas consideram que, assim como os militares, os Policiais cCvis exercem uma atividade que os coloca constantemente em risco quanto à sua saúde e integridade física, razão pela qual deliberaram que irão postular junto ao governo um tratamento diferenciado e condizente com o desempenho de suas atividades profissionais na proposta de reforma previdenciária.

Lei Orgânica Nacional da Polícia Civil

Está em pauta a proposta de Lei Orgânica Nacional da Polícia Civil, cujo plano nacional de implementação foi novamente discutido após a apresentação atualizada feita pelo presidente da FEIPOL-NORTE, Itamir Lima. O Congresso pretende concluir seus trabalhos com a definição de um planejamento geral de trabalho envolvendo os quatro eixos centrais de discussão do evento: Ciclo Completo, Unificação das Polícias, Lei Orgânica e Reforma da Previdência.

A COBRAPOL pretende, já a partir de fevereiro, quando os novos legisladores federais tomarão posse, manter uma delegação permanente em Brasília para desenvolver e aprofundar os contatos junto aos parlamentares e ao Governo Federal.

Segundo o presidente André Luiz Gutierrez, “tanto o COBRAJUR, promovido na última sexta-feira (25), como o Congresso que  foi encerrado neste domingo (27), realizados com representantes das entidades filiadas de todo país, ocorrem num momento fundamental para que possamos defender nossas ustas reivindicações e as inadiáveis mudanças que precisam ser feitas no modelo de segurança pública nacional, de modo que seja mais eficiente na defesa da sociedade, e isso passa, necessariamente, pela valorização de nossos trabalhadores policiais civis e pelo resgate e fortalecimento de nossa instituição, a Polícia Civil”.

Fortaleça a sua classe, Associe-se!

Produção: Assessoria de Imprensa da Aepes com informações da COBRAPOL.

Por: AEPES 28/01/2019