PCES funciona com pouco mais da metade do seu efetivo ideal

Por AEPES 10/10/2019

A Polícia Civil capixaba funciona com pouco mais da metade dos servidores prevista em seu quadro organizacional. Dos 3.821 previstos, apenas 2.082 estão na ativa, segundo informações coletadas no site da Transparência do governo estadual. A quantidade de policiais ativos representa 54,48% do que estava previsto pela instituição.

Os agentes de Polícia Civil estão em “extinção”. O quadro organizacional previa que 1.060 deveriam estar trabalhando. No entanto, a quantidade atual é de 271. Auxiliares de perícia médico-legal também têm se tornado minorias: dos 99, somente 32 estão nomeados.

Estão à disposição da PV 40 médicos e médicos-legistas, porém 78 deveriam estar atuando na instituição. A insuficiência desses profissionais tem sido um problema para liberação de corpos, principalmente no interior.

CONCURSOS

A Polícia Civil tem dois concursos em andamento. O primeiro, com 173 vagas, é para cargos de níveis superior e médio, como auxiliar de perícia médico-legal, assistente social, escrivão, investigador, médico legista, psicólogo e perito oficial criminal. O segundo, de nível superior, tem 33 vagas para delegados.

Esses concursos têm validade de dois anos podendo ser prorrogados por igual período. O governador Renato Casagrande (PSB), em seu primeiro governo, fez nomeações em bom número para a polícia. Entre 2011 e 2014, 948 policiais, ativos, foram nomeados pelo socialista. Uma parcela dos 45,53% dos servidores que estão atuando.

Fortaleça a sua classe. Associe-se!

Siga-nos no Facebook (facebook.com/aepes.pces) Siga-nos no Instagram (aepes1)

(A Gazeta)

Por: AEPES 10/10/2019