Seis arrombamentos em apenas duas semanas numa mesma rua de Itapoã

Por AEPES 25/09/2010
25/09/2010 - 13h03 - Atualizado em 25/09/2010 - 13h03

Nos últimos 15 dias, foram seis arrombamentos a estabelecimentos comerciais na Rua Jair de Andrade.
Redação Multimídia - gazeta online
foto: Edson Chagas
Rua Jair de Andrade em Itapoã
Rua Jair de Andrade em Itapoã


Uma onda de furtos tem tirado o sono de comerciantes da Rua Jair de Andrade, em Itapoã, Vila Velha. Nos últimos 15 dias, foram seis arrombamentos a estabelecimentos comerciais. Na madrugada deste sábado (25), os alvos dos criminosos tentaram entrar em um pet shop, um restaurante, uma academia e conseguiram furtar uma gaveta do caixa de uma pastelaria, onde havia apenas moedas e notas pequenas.
Moradores acionaram a Polícia Militar, que conseguiu apreender dois suspeitos. Os acusados eram menores de idade, foram apreendidos e levados para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vila Velha, onde prestaram declarações e foram liberados.

"Eu vi da minha casa quando dois moleques colocaram uma barra para forçar a porta de metal e depois saíram da lanchonete com uma gaveta. Chamei a PM que chegou rapidamente", disse o morador Roberto Salesiano, 49 anos, que já teve a própria casa furtada.
Os suspeitos do crime fugiram pulando o muro de um lava-jato e se escondendo dentro de uma caixa d?água.
Comerciantes contaram que os arrombamentos acontecem sempre durante a madrugada, quando não há policiamento na rua, onde também está localizado um Destacamento de Polícia Militar (DPM).
"Durante o dia, os policiais estão sempre percorrendo as ruas. Porém, quando chega a noite e o DPM fecha, a rua fica deserta", contou o comerciante Wilson Pereira, 55 anos. Populares disseram que os arrombadores estão se "especializando cada vez mais. Segundo eles, os primeiros furtos eram feitos com barras de ferro, agora até abrem buracos nas paredes para terem acesso ao interior do comércio. 
  
"Essa noite arrancaram parte da estrutura da porta, mas há cerca de dois meses fizeram um buraco na parede e levaram bebidas, cigarros, mercadores e uma pequena quantidade em moedas. Os acesso são pequenos, por isso achamos que sejam crianças ou garotos usuários de droga ou mendigos", disse o proprietário de um restaurante da Rua Jair de Andrade, em Itapoã, que não quis se identificar.
 
Por: AEPES 25/09/2010